NOTÍCIAS

"Assuma sua posição! As situações não podem mais definir o seu futuro!"


Em 10 de julho, aconteceu o Encontro Mensal de Mulheres Mais que Vencedoras (+QV), o ministério feminino da Igreja Renascer em Cristo. O tema foi “Autorresponsabilidade”

Com transmissão ao vivo do Renascer Hall, o evento foi marcado por orações, louvores, histórias de superação e mensagens inspiradoras.

Acompanhe, a seguir, o resumo da palavra ministrada pela Bispa Sonia Hernandes:

Gênesis 30.25 a 43: “Tendo Raquel dado à luz a José, disse Jacó a Labão: Permite-me que eu volte ao meu lugar e à minha terra. Dá-me meus filhos e as mulheres, pelas quais eu te servi, e partirei; pois tu sabes quanto e de que maneira te servi. Labão lhe respondeu: Ache eu mercê diante de ti; fica comigo. Tenho experimentado que o Senhor me abençoou por amor de ti. E disse ainda: Fixa o teu salário, que te pagarei.

Disse-lhe Jacó: Tu sabes como te venho servindo e como cuidei do teu gado. Porque o pouco que tinhas antes da minha vinda foi aumentado grandemente; e o Senhor te abençoou por meu trabalho. Agora, pois, quando hei de eu trabalhar também por minha casa? Então, Labão lhe perguntou: Que te darei? Respondeu Jacó: Nada me darás; tornarei a apascentar e a guardar o teu rebanho, se me fizeres isto: Passarei hoje por todo o teu rebanho, separando dele os salpicados e malhados, e todos os negros entre os cordeiros, e o que é malhado e salpicado entre as cabras; será isto o meu salário. Assim, responderá por mim a minha justiça, no dia de amanhã, quando vieres ver o meu salário diante de ti; o que não for salpicado e malhado entre as cabras e negro entre as ovelhas, esse, se for achado comigo, será tido por furtado.

Disse Labão: Pois sim! Seja conforme a tua palavra. Mas, naquele mesmo dia, separou Labão os bodes listados e malhados e todas as cabras salpicadas e malhadas, todos os que tinham alguma brancura e todos os negros entre os cordeiros; e os passou às mãos de seus filhos. E pôs a distância de três dias de jornada entre si e Jacó; e Jacó apascentava o restante dos rebanhos de Labão. Tomou, então, Jacó varas verdes de álamo, de aveleira e de plátano e lhes removeu a casca, em riscas abertas, deixando aparecer a brancura das varas, as quais, assim escorchadas, pôs ele em frente do rebanho, nos canais de água e nos bebedouros, aonde os rebanhos vinham para dessedentar-se, e conceberam quando vinham a beber.

E concebia o rebanho diante das varas, e as ovelhas davam crias listadas, salpicadas e malhadas. Então, separou Jacó os cordeiros e virou o rebanho para o lado dos listados e dos pretos nos rebanhos de Labão; e pôs o seu rebanho à parte e não o juntou com o rebanho de Labão. E, todas as vezes que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas à vista do rebanho nos canais de água, para que concebessem diante das varas. Porém, quando o rebanho era fraco, não as punha; assim, as fracas eram de Labão, e as fortes, de Jacó. E o homem se tornou mais e mais rico; teve muitos rebanhos, e servas, e servos, e camelos, e jumentos.”

Autorresponsabilidade é assumir o controle das rédeas da sua vida... É assumir a responsabilidade dos seus atos, mas sem se destruir.

O que isso significa? Assumir as consequências dos seus erros, mas, claro, sem se torturar com acusações.

E como não ser massacrada pelo sentimento de culpa? Transformando os erros em lições! Tendo maturidade: “Estou vivendo isso porque fiz aquilo. Mas, a partir de hoje, eu vou agir diferente e, assim, o meu futuro será melhor!”

Todos nós conhecemos a jornada de Jacó... Na casa de Labão, ele trabalhou sete anos para se casar com a Raquel, mas foi enganado pelo sogro, que entregou Lia no lugar dela.

Como sabemos, Jacó também enganou o pai e o irmão. Esse foi um dos motivos de ele ter fugido para a casa de Labão.

Mas, voltando à história...

Jacó estava tão determinado a realizar aquele sonho, que decidiu trabalhar mais sete anos por Raquel.

Jacó também estava passando por uma jornada de transformação. Deus estava lapidando o caráter dele.

Jacó não poderia levar a vida achando que para conseguir algo teria que “passar a perna” em alguém. Ele tinha de aprender a trabalhar de forma honesta para alcançar seus objetivos.

Jacó precisava ter consciência de que tudo o que queremos conquistar requer um preço a ser pago!

Entre a decisão e a concretização dos sonhos, há uma jornada! A de Jacó foi difícil. Labão mudou o salário dele sete vezes.

Enquanto Jacó acreditou que dependia do que Labão achava que ele merecia, só teve prejuízos.

Mas quando ele decidiu dar um basta naquele ciclo de exploração e definiu, de maneira justa, o salário dele, os caminhos foram liberados.

Labão aceitou, mas ainda tentou encontrar maneiras de tirar vantagem de Jacó. Mas Deus não permitiu!

Precisamos ter consciência de que as situações e as pessoas não podem definir nossos resultados. Nossa vida está nas mãos do Senhor!

O possível é com a gente, mas o impossível é com Ele!

Ter autorresponsabilidade é ter consciência deste princípio espiritual:

Gálatas 6.7: Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará”

Para a semente se transformar em uma árvore, há um processo, e não há como pular etapas! Precisamos saber preparar a terra, adubá-la e regá-la... e saber o momento certo de colhermos os frutos!

Há pessoas que acreditam que jamais poderão mudar... que pensam e se sentem de determinada maneira, pois foram condicionadas a isso... Mas isso é uma grande mentira!

A neurociência já comprovou que podemos reprogramar a nossa mente!

Já ouviu falar em plasticidade neural?

É capacidade de o cérebro de desenvolver novas conexões sinópticas entre os neurônios, a partir da experiência do indivíduo.

Com determinados estímulos, mudanças na organização dos ambientes e na localização dos processos de informação, podemos mudar a maneira como pensamos.

É através da plasticidade que novos comportamentos são aprendidos e o desenvolvimento torna-se algo contínuo.

Este fenômeno parte do princípio de que o cérebro não é imutável, uma vez que a plasticidade neural permite que uma determinada função do sistema nervoso central (SNC) possa ser desenvolvida em outro local do cérebro como resultado de aprendizagem e treinamento.

Como assim?

Quando agimos diferente do que sentimos diante daquelas situações que nos tirariam do eixo, estas novas reações se transformarão em um hábito... Depois de um tempo, suas emoções mudarão também...

Já parou para pensar que você está vivendo isso por que você se permite ou por que não faz nada para mudar?

E aquelas situações incontroláveis, como a morte de quem amamos?

Eu aprendi com o “até breve” do meu filho o seguinte: eu posso escolher transformar o luto do meu filho no meu enterro ou renascer em Cristo. E se estou aqui hoje, é por que fiz a segunda opção!

Sabe o que eu aprendi? Que a ressurreição é para quem fica!

Romanos 8.11: “E, se o Espírito daquele que ressuscitou dos mortos a Jesus habita em vós, aquele que ressuscitou dos mortos a Cristo Jesus igualmente vos dará vida a seus corpos mortais, por intermédio do seu Espírito que habita em vós.”

Eu tive que aprender a me relacionar com as pessoas, com as coisas e com a vida de maneira diferente! Tive que aprender a ser feliz apesar da falta que ele me faz! É fácil? Não! Mas é possível!

Você pode não escolher o que acontece com você, mas pode escolher o que fará com tudo o que acontece com você!

A autorresponsabilidade passa também amor-próprio!

Guarde isso: determinadas situações acontecem porque a gente simplesmente aceita!

Jacó era explorado, pois ele aceitava! As coisas mudaram, quando ele decidiu não viver mais daquele jeito!

Busque o melhor para você! Não aceite mais o que te dão! Lute pelos seus direitos!

Não deixe de fazer o que é certo só para agradar os outros!

Guarde isso:

2 Coríntios 6.12: “Não tendes limites em nós; mas estais limitados em vossos próprios afetos.”

E como se reprogramar?

Tenha consciência de onde você está e aonde você quer chegar!

Corra atrás dos seus sonhos e não dos sonhos que os outros têm para você!

Guarde isso: Quem não sabe para onde vai não chega a lugar nenhum, e quem não sabe onde está também!

Quem não sabe onde está, na verdade, está como? Perdido! Ou seja, automaticamente, não sabe qual rumo tomar na vida!

Sabe por que muitas pessoas em vez de se tornarem melhores nesta pandemia, pioraram? Porque não conseguem conviver com elas mesmas! Estão cheias de pendências e só agora se deram conta de que deveriam ter cuidado melhor da saúde, dos relacionamentos, da casa, das finanças...

Preste atenção naquilo que você tem escolhido para alimentar o seu corpo, sua alma e seu espírito!

Se você só se enche de más notícias, você acha que vai se sentir como? Com medo!

Quer deixar de sentir medo? Alimente sua fé!

Vamos fazer um exercício?

Em um papel, coloque todas as áreas da sua vida (familiar, financeira, ministerial, profissional, saúde, social, emocional, espiritual...). Ao lado de cada, coloque uma nota de 1 a 10 e escreva o porquê.

Escreva também:

Como você se define?

Quais são os seus objetivos?

O que você tem feito com o seu tempo está te aproximando ou te afastando dos seus sonhos?

Você está feliz com o estilo de vida que você leva?

O que você tem feito para você ficar melhor?

A primeira coisa que precisamos para desenvolver a autorresponsabilidade é ter consciência!

Ter autorresponsabilidade é saber que Deus salva, cura e liberta, mas quem precisa ter fé somos nós!

Se você ora e não acredita naquele para quem você está orando, como você espera que Ele faça algo por você?

Guarde isso:

Mateus 21.22: “E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.”

2 Crônicas 20.20: “Crede no Senhor vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas, e prosperareis...”

Todas nós conhecemos ou já ouvimos falar da história de Elias.

Em um determinado momento, Deus disse para ele ungir o profeta que ocuparia o seu lugar.

Eliseu foi escolhido e quando chegou o momento de ele receber o manto, preste atenção no que aconteceu:

1 Reis 19.19 a 21: “9 Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele. Então, deixou este os bois, correu após Elias e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. Elias respondeu-lhe: Vai e volta; pois já sabes o que fiz contigo. Voltou Eliseu de seguir a Elias, tomou a junta de bois, e os imolou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se dispôs, e seguiu a Elias, e o servia.”

Há situações que não adianta olhar para trás, apenas para frente... ou seja, fazermos o melhor com aquilo que temos hoje!

É parar de pensar: “Seu tivesse isso ou aquilo, seria melhor...”

Para exemplificar bem, podemos citar aqueles pratos deliciosos que surgiram com a mistura de sobras, como a feijoada.

Ficar se punindo, ficar revisitando, remontando e remoendo o passada, ficar alimentando mágoas, procurar saber o que falam de você, saber como está a vida aqueles que te fizeram mal... só nos faz perder tempo e energia!

Não chore mais este choro! Não faça mais isso com você!

E quando disserem que “não dá”, lembre-se:

Filipenses 4.13: “...tudo posso naquele que me fortalece”

Busque ser uma bênção para você, assim você também será para os outros!

Há três tipos de consciência:

PLENA:

São pessoas que conseguem ter uma compreensão adequada sobre tudo aquilo que as cerca.

Têm uma capacidade de interpretação da realidade que as aperfeiçoa assim como impacta beneficamente os ambientes que as cercam!

RELATIVA:

É capaz de transformar um pequeno incidente sem vitimas em uma agressão intencional com consequências terríveis.

DISFUNCIONAL:

É ter uma leitura distorcida dos fatos, que nos leva a ter comportamentos disfuncionais ou destrutivos.

É aquela pessoa sem filtros, sem noção... É aquela que age de acordo com suas emoções!

Antes de tomar qualquer atitude, pense nos prejuízos, pense em como você será lembrada! Em vez de sentir antes de pensar, pense antes de sentir!

Ao saber da sentença de morte que estava sobre os judeus, Mordecai diz para Ester tomar uma atitude e interceder por eles na presença do rei. Mas ela colocou uma série de obstáculos...

Mordecai, entrou, lembrou o motivo de ela estar na posição de rainha: interferir em favor do povo dela.

Ester 4.10 a 17: “Então, respondeu Ester a Hataque e mandou-lhe dizer a Mordecai: Todos os servos do rei e o povo das províncias do rei sabem que, para qualquer homem ou mulher que, sem ser chamado, entrar no pátio interior para avistar-se com o rei, não há senão uma sentença, a de morte, salvo se o rei estender para ele o cetro de ouro, para que viva; e eu, nestes trinta dias, não fui chamada para entrar ao rei Fizeram saber a Mordecai as palavras de Ester.

Então, lhes disse Mordecai que respondessem a Ester: Não imagines que, por estares na casa do rei, só tu escaparás entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha? Então, disse Ester que respondessem a Mordecai: Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci.”

Existem realidades que não podemos mudar! Por exemplo, não espere encontrar uma praia no Polo Norte! Em vez de ficar se lamentando, busque aprender a ser feliz lá!

Existem situações nas nossas vidas que não vão mudar... Quem precisa mudar é a gente...

Se você pensar que “quando aquilo melhorar, serei mais feliz”, talvez nunca seja!

Sabe quando você será feliz? Quando você não depender mais disso para ser!

Guarde esta frase: Aquilo que não muda está me falando para eu ser melhor!

Vamos ter mais um momento de reflexão:

Como você chamaria a mulher que se levanta no horário em que você levanta todas as manhãs?

Como você chamaria a mulher que se cuida como você se cuida?

Como você chamaria a mulher que trata o marido como você trata o seu?

Como você chamaria a mulher que se relaciona com Deus como você?

Como você chamaria a mulher que trabalha como você trabalha?

Você gostaria que seu filho se casasse com uma mulher como você?

Por que eu propus isso?

Depois da consciência, precisamos ter empatia!

Para nos tornarmos pessoas melhores, precisamos nos colocar no lugar daqueles que se relacionam com a gente!

Coloque sua vida em ordem, comece organizando seu guarda-roupa e a sua casa!

Não espere as coisas, as circunstâncias, as pessoas melhorarem para você ser alguém melhor!

Ter autorresponsabilidade é ter:

1- Consciência;

2- Disciplina;

3- Amor-próprio;

4- Visão positiva de futuro;

5- Relacionamento profundo com Deus e praticar os princípios.

E para finalizar não caia nestas armadilhas:

1- Arrogância;

Sempre podemos aprender algo novo sobre tudo, inclusive sobre aquilo que já sabemos.

2- Vaidade;

Quando nos preocupamos mais com a imagem que queremos que as pessoas tenham de nós do que com o nosso desenvolvimento!

Que sua vida real seja melhor que sua vida virtual.

3- Procurar atalhos para alcançar seus objetivos mais rápido;

Se atalho fosse bom, teria virado caminho faz tempo! Atalhos, na verdade, são grandes desvios na nossa jornada!

4- Ter curiosidade para o mal;

Não fique procurando o que você não perdeu!

5- Tomar decisões “no calor do momento

Guarde estes versículos:

João 14.26: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.”

Tiago 1.5: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.”

Lembre-se de que você é um projeto bem-sucedido de Deus!

Busque ser melhor para ter um futuro melhor!



Redação

29 visualizações

Posts recentes

Ver tudo