NOTÍCIAS

"Suas dores estão escrevendo uma história de sonhos!"

IDENTIDADE foi o tema da reunião do projeto +QV (Mais que Vencedoras), realizada em 8 de maio no Renascer Hall, com transmissão ao vivo para todas as sedes estaduais da Igreja Renascer em Cristo e pela Rede Gospel de Televisão e via YouTube.

O encontro foi marcado por momentos de louvor, orações, testemunhos impactantes e uma mensagem de reflexão da Bispa Sonia Hernandes.

Acompanhe, a seguir, o resumo:

Gênesis 12.1 a 9: “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei;de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.

Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o Senhor, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã. Levou Abrão consigo a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as pessoas que lhes acresceram em Harã. Partiram para a terra de Canaã; e lá chegaram.

Atravessou Abrão a terra até Siquém, até ao carvalho de Moré. Nesse tempo os cananeus habitavam essa terra. Apareceu o Senhor a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao Senhor, que lhe aparecera.

Passando dali para o monte ao oriente de Betel, armou a sua tenda, ficando Betel ao ocidente e Ai ao oriente; ali edificou um altar ao Senhor e invocou o nome do Senhor. Depois, seguiu Abrão dali, indo sempre para o Neguebe.”

Deus tinha um projeto de vida para Abrão – que significa “grande pai” –, mas para vivê-lo, era necessário que ele assumisse a identidade que o Senhor tinha para ele. Ou seja, tornar-se quem ele de fato nasceu para ser: Abraão, que significa “pai de nações”.

Precisamos ter consciência de que identidade é diferente de status. Identidade é quem somos, e status é como estamos!

O grande problema é que muitas vezes confundimos dois e nos definimos da maneira errada. Por exemplo, estar doente não significa que você é aquela doença ou que você é doente.

Há vários tipos de identidade. Por exemplo, há aquela que nossos pais colocam em nós, ou seja, a maneira como eles nos definem, o que eles pensam ao nosso respeito...

Por mais que amemos nossos filhos, muitas vezes, projetamos neles os nossos medos e frustrações. Em vez de impulsioná-los, acabamos inibindo-os, pois criamos neles uma série de bloqueios, principalmente quando falamos coisas do tipo: “Isso não é para você!”; “Você não pode!”; “Você não gosta disso!” ou “Isso não te levará para lugar nenhum!”.

Mas, afinal, quem nós somos de verdade?

Sabem quem é o mais indicado para responder essa pergunta? Aquele que nos criou: Deus!

E o que Ele diz sobre nós?

- Que fomos criadas à imagem e semelhança d´Ele;

- Que somos filhas d´Ele;

- Que temos poder e autoridade para dominar situações e sentimentos;

- Que fomos chamadas para a liberdade;

- Que Ele tem um propósito para a nossa existência;

- Que, n´Ele, podemos todas as coisas.

Agora, a sua parte é crer! Lembre-se de que somos o que acreditamos... Precisamos mudar a maneira como nos enxergamos!

Como você se enxerga terminando o Ano de Paulo? Completando a carreira e guardando a fé? Então, é isso o que você viverá!

Para vivermos a história que Deus escreveu para nós, assim como Abraão, precisamos deixar a nossa “tenda”. O que isso significa? Deixar para trás as características e os hábitos que não condizem com a sua verdadeira identidade.

Ou seja, precisamos abandonar determinados discurso, como por exemplo: “Eu sou egoísta, porque todo mundo na minha casa é assim” ou “Eu não estudei, porque ninguém na minha casa estudou.”

Em outras palavras, precisamos nos identificar com o nosso Criador!

E quando recebemos esta identidade? Quando renascemos em Cristo.