Rede Gospel de Televisão - Levando você mais perto de Deus !

NOTÍCIA

Rute, aquele que escolheu permanecer apesar de tudo

Rute 1.6: “Disse porém, Rute: Não me instes para que te deixes e me obrigue a não seguir-te; porque aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.”
 
Resultado de imagem para mais que vencedoras blog
 
Rute nasceu em Moabe, país vizinho a Israel, onde hoje se localiza a Jordânia. A origem dos moabitas é tão terrível quanto os seus deuses. Esse povo foi fruto do incesto praticado entre Ló e sua filha mais velha.
 
Os moabitas eram politeístas. Entre seus principais deuses, estava Quemos, que era representado pela figura de um homem com cabeça de touro que segurava uma criança no colo. Não raro, eles sacrificavam seus filhos a ele.
 
Rute entrou para a história do povo hebreu ao se casar com um dos filhos de Elimeleque e Noemi, um casal hebreu que se mudou para Moabe. Infelizmente, Elimeleque e seus dois filhos morreram. Assim, Rute, sua cunhada e sua sogra ficaram viúvas.
 
Noemi aconselhou suas noras a voltarem para suas famílias de origem, para seu povo, mas Rute insistiu em permanecer com a sogra, apesar da pobreza, viuvez e falta de perspectiva. Juntas, Noemi e Rute voltaram para Belém (Israel).
 
Ali, Rute encontrou seu resgatador, Boaz. Eles se casaram e vieram a ser bisavós do rei Davi.
 
Desafios
 
Rute cresceu vendo crianças sendo sacrificadas em nome de uma religião e de um deus impiedoso que cobrava alto para "beneficiar" seu povo. Quantas vezes, deve ter sonhado em ser mãe, ter uma família? Mas a religiosidade mata o futuro, os sonhos.
 
O primeiro desafio de Rute foi abandonar aquela religião cruel de seu povo  o que ela conseguiu quando se casou com um hebreu. Ela conheceu o Deus da família, o Deus da aliança. Mas, assim que ficou viúva, o medo do futuro voltou a assolá-la. Agora, seu desafio era manter uma aliança a despeito de todos os seus medos. Permanecer ao lado de Noemi significava não ter garantias; ela só tinha a aliança.
 
O que a história de Rute nos ensina?
 
1- O valor de uma aliança
 
Por mais desalentadoras que fossem as chances de sobreviverem à viuvez, à fome e a uma viagem perigosa de a Moabe a Belém, ainda assim Rute preferiu permanecer ao lado da sogra; ela passou a entender o significado de aliança. Muitos destroem seus lares, seus ministérios, suas vidas porque não entendem que a aliança é um princípio espiritual que garante um bom futuro.
 
O inimigo quer que você tome a forma do mundo e suas sujeiras; ele quer que você desvalorize as alianças que você tem para se tornar como ele. Lúcifer quebrou sua aliança com Deus por causa do seu orgulho, porque queria ser adorado, porque queria a atenção toda para si.
 
A aliança nos fortalece, protege e orienta. Só é possível relacionar-se com Deus, estabelecendo aliança com Ele.
 
2- Que andar em aliança nos faz viver os propósitos superiores do Senhor
 
A aliança em si é mais valiosa do que todas as vantagens que ela possa te dar. Isto é, ainda que ao tomar a decisão de permanecer em aliança você não veja ganho nisso, permanecer te faz estar no lugar onde Deus ordena sua bênção. Rute só viveu a restituição porque insistiu em permanecer em sua aliança com a sua sogra, uma pessoa que não podia, humanamente falando, lhe dar mais nada.
 
Rute não tinha nenhum vínculo de sangue com Noemi, mas estabeleceu um vínculo espiritual de amor, uma aliança inquebrável e se tornou família para aquela que havia perdido tudo.
 
Rute ouvia e obedecia as orientações da sogra; ela se colocou no lugar de filha, manteve-se fiel e o Senhor lhe restituiu em tudo muitas vezes mais: marido, casamento, filhos, descendência, herança, alegria e propósito de vida.
 
3- Que vale a pena perseverar, ainda que os ventos sejam contrários
 
Quem pode, Senhor, entrar no teu santuário? Quem pode ser escolhido para fazer a obra de Deus, para ser participante da natureza do Pai? Aquele que tem mãos puras e coração puro. A aliança é um princípio espiritual e uma mulher como Rute, que abriu mão das razões humanas, das suas pretensões, que se manteve fiel e foi usada para dar continuidade ao plano redentor de Deus.
 
Ela foi bisavó de Davi e, portanto, contribuiu para a linhagem humana que gerou a Jesus Cristo. Deus reserva sua intimidade para os que O amam e são fiéis a Ele (Salmos 25.14). Estar e permanecer em aliança nos coloca em posição de autoridade, mais do que vencedores, sobre todas as adversidades e calamidades.
 
Acompanhe, no vídeo abaixo, um estudo esclarecedor sobre a história de Rute publicado no canal oficial do Escola de Profetas, teleaula da Rede Gospel de Televisão:
 
 
 
Redação Rede gospel